Como Aprender Inglês Sozinho em Casa de uma Maneira Simples e Rápida?

Se você ainda pensa em aprender Inglês como um diferencial, esqueça: aprender Inglês, hoje, não é um diferencial, é pré-requisito. A língua inglesa é a língua franca do mundo. Se não sabe a língua local onde quer que esteja, você sempre pode se comunicar em Inglês.

É por isso mesmo que aprender esse idioma se tornou urgente e é possível fazer isso sozinho, em casa, rápido e sem aulas presenciais maçantes que não saem do verbo To Be. Quer saber como? Vem ver!

APRENDER INGLÊS SOZINHO FUNCIONA?

Muitas pessoas alardeiam a ideia de que só é possível aprender Inglês viajando para um país de língua inglesa ou fazendo 10 anos de cursinho presencial. Isso não é verdade e não tem qualquer fundamentação científica.

É fato que o contato com o idioma facilita o aprendizado, mas em era de Internet em que a comunicação é instantânea e global, você não precisa ir até a Inglaterra para falar com um britânico. Dá para aprender Inglês em casa, rápido e sozinho sim!

Quer dizer que aprender Inglês sozinho em casa funciona? A resposta certa é: funciona, mas depende. Como assim? Cada pessoa tem seu próprio ritmo e método de aprendizado. Umas aprendem melhor ouvindo, outras aprendem melhor lendo e há quem aprenda melhor fazendo repetidos exercícios.

Aprender Inglês sozinho é possível desde que você tenha disciplina para isso. Tudo que você precisa é descobrir como aprende melhor e se educar para uma rotina de estudos. Continue lendo para descobrir como fazer isso e aprender Inglês fluente!

QUEBRANDO MITOS SOBRE APRENDER INGLÊS

como-aprender-ingles

Até sobre aprender Inglês existem aquelas mentiras que foram tão repetidas a ponto de parecerem verdades. Mas se quer aprender o idioma sozinho e está decidido a isso, você precisa tirar essas mentiras da cabeça. Elas podem se tornar um obstáculo.

  1. Só se aprende Inglês em país de língua inglesa

Mentira. Há quem nunca tenha saído do Brasil e fala Inglês melhor que quem morou 2 anos fora. Fluência não é um visto adquirido em viagem: fluência é prática e escuta.

Você não precisa sair do país para aprender Inglês, nem sequer precisa sair de casa! Só precisa praticar diariamente e escutar constantemente. É assim que muitas famílias criam filhos bilíngues, que aprendem em casa mesmo sem nunca ter ido ao estrangeiro.

  1. Tem que saber gramática para falar Inglês fluente

Essa afirmação beira o absurdo. Na verdade, colocar gramática acima da língua oral é o primeiro erro de qualquer estudante, pois atrapalha o aprendizado com sua rigidez e inúmeras regras.

Se o seu objetivo ao aprender Inglês for comunicar e não meramente escrever, deixe a gramática para aprimorar depois.

Crianças aprendem a falar línguas sem ter a mínima noção de gramática e nem por isso falam errado estruturalmente. Aprendemos mais naturalmente ouvindo. Essa dica é crucial para aprender Inglês rápido.

  1. Inglês é difícil porque é muito diferente do Português

Não existe língua “mais fácil” ou “mais difícil”, isso é um mito popular. Na realidade, já usamos inúmeras palavras e expressões inglesas no nosso dia a dia: notebook, show, shampoo, PC, videogame.

Além disso, a Língua Inglesa tem menos conjugações verbais que o Português, não tem flexão de gênero e muitas vezes várias palavras podem ser dita com uma só. Isso tudo não deveria contar como mais fácil?

  1. Quanto mais velho, mais difícil aprender Inglês

Mentira que já foi derrubada por várias pesquisas científicas. É verdade que crianças absorvem tudo e, por isso, aprendem mais naturalmente. Mas não é porque crianças aprendem rápido que adultos precisam, necessariamente, aprender devagar.

Tanto faz ter 8 ou 80 anos para aprender Inglês, a diferença está na forma de aprender. Uma criança aprende naturalmente pela plasticidade cerebral que possui, mas um adulto possui habilidades mais desenvolvidas (raciocínio lógico e cognição principalmente), além de maior conhecimento de vida, que ajudam muito na hora de aprender uma língua nova.

  1. Não levo jeito para aprender línguas

Essa frase é até engraçada de tão errada. Ninguém “leva jeito” para aprender línguas. É totalmente inverídica essa história de que alguns “têm dom” para línguas e outros não.

Inglês não é uma arte, Inglês é um idioma. Uma forma de comunicação. Ninguém nasce “naturalmente bom” em Português, você fala Português porque nasceu em um país de língua portuguesa e ouve isso desde pequeno. Seria o mesmo se fosse assim com o Inglês.

Você pode aprender qualquer língua, mesmo aquelas mais distantes do Português. Tudo que precisa é de treino e prática, não de dom ou “jeito”.

  1. Para aprender Inglês é só ver filmes e ler livros

Falso, apesar de ser tentador aprender em casa vendo filme. Nem todo filme ou livro em Inglês estarão adequados ao seu nível. Tudo dependerá do seu nível de fluência.

Se você esta começando e ainda só sabe o básico, ver filmes emInglês e tentar ler um “Harry Potter” só vão te deixar desmotivado.

como-aprender-ingles-sozinho

O motivo é simples: quando a disparidade fica visível e o aprendiz não consegue entender o que está sendo dito ou está escrito porque a complexidade está acima do seu nível de fluência, ele fica desmotivado e acha que o problema é com ele. Mas não é! E isso acaba levando muitos a desistirem de estudar, quando era apenas uma questão de nivelar o conteúdo.

Anotou tudo? Então coloque isso na cabeça quando for aprender Inglês e veja abaixo 10 dicas infalíveis para aprender sozinho e falar a língua Inglesa.

10 DICAS INFALÍVEIS PARA APRENDER INGLÊS SOZINHO

As dicas abaixo são indicações de professores, experts e neurocientistas e, seguidas corretamente, podem trazer resultados surpreendentes para quem quer adquirir fluência em Inglês rápido e prefere estudar sozinho em casa. Veja só:

  1. Tenha uma rotina de estudos e siga disciplinadamente

Aprender sozinho não é o mesmo que “estudar a qualquer hora”. É preciso seguir uma rotina de estudos para educar sua mente. Isso é científico, se chama behaviorismo. Quando seu cérebro entende que todo dia, na hora X é a hora de estudar, ele estará previamente preparado para absorver conteúdo e informação naquele momento.

Portanto, estipule um horário fixo para estudar Inglês. Por exemplo, das 9h às 10h da manhã e/ou das 16h às 17h da tarde. Se você é uma pessoa mais diurna e está com mais energia de manhã, pense isso na hora de criar sua rotina.

Se, por outro lado, está mais ativo à noite, estabeleça um horário dentro desse quesito. Nunca coloque a “hora do estudo” após uma bateria longa de trabalhos ou exercícios, pois seu cérebro estará mais cansado e será mais difícil ter foco. O horário ideal é de 2h por dia, pelo menos, mas não mais que 2h seguidas.

  1. Descubra como você aprende melhor e foque nisso

estilos-de-aprendizagem

Se você aprende melhor ouvindo, aposte na audição: ouça músicas em Inglês, veja diálogos em vídeos, filmes legendados, etc.

Se você aprende melhor praticando, use listas de exercícios de livros ou da internet e pratique todos os dias, traduza suas músicas preferidas com ajuda de um dicionário, faça jogos de palavras cruzadas.

Se aprende melhor lendo, use materiais didáticos e livros infantis – sim, livros infantis têm frases simples sem deixar de oferecer bom vocabulário. Descobrir o método que melhor funciona para você ajudará a aprender Inglês mais rápido!

  1. Aprender Inglês PODE e DEVE ser divertido

Não encare o aprendizado e o tempo de estudo como algo chato e aborrecedor, isso vai tirar sua motivação e fazê-lo desistir eventualmente. Invés disso, faça com que aprender Inglês se torne algo prazeroso, especialmente se for para aprender em casa.

Use temáticas que gosta no momento de estudar (por exemplo, se gosta de algum seriado específico, se gosta de história ou de fábulas, use isso na hora do estudo), use jogos em Inglês, músicas e vídeos divertidos, imagens bizarras associadas às palavras. Aprender pode e deve ser um momento de prazer, não de aborrecimento.

  1. Traga o Inglês para o seu cotidiano

Conviver com o Inglês é uma forma de fazer seu cérebro absorver naturalmente a língua. Espalhe bilhetes pela casa e nos lugares em que costuma estar com mais frequência.

Você pode etiquetar seus objetos, como colheres (spoon), garfo (fork), xícara (cup), livro (book) e deixar tudo com rótulos com o nome em Inglês. Acredite, isso ajudará imensamente.

Use um dicionário para os nomes que não conhece e será uma excelente forma de ampliar seu vocabulário com palavras de uso real.

Outra dica é mudar o idioma dos seus aparelhos para Inglês: smartphone, tablet, computador, tudo que der para configurar. Parece algo pequeno, mas se você está em contato com esses aparelhos a maior parte do tempo, significa que vai receber mais informação visual em Inglês diariamente.

E isso é ótimo para que você fique mais à vontade com o idioma e aumente seu vocabulário prático!

  1. Uma vez por semana NÃO!

Não adianta achar que vai aprender Inglês sozinho estudando 2h apenas uma vez por semana. Aprender Inglês em casa é disciplina! Qualquer idioma exige tempo e dedicação.

Estude todos os dias, nem que seja apenas uma hora por dia. É importante manter o cérebro atualizado e imerso na informação que você está aprendendo.

Todo dia ouça um pouco de Inglês, estude novos vocábulos, revise conteúdos já estudados e pratique um pouco mais. Todo dia. Não tem feriado ou fim de semana. Você não aprendeu sua língua materna falando apenas às terças-feiras.

  1. Prepare um ambiente só para estudos

Um dos maiores erros de quem quer aprender Inglês em casa é achar que “qualquer lugar server”. Pega o computador, um livro e caderno e senta na sala ou quer estudar deitado no quarto.

Isso é uma regra básica da neurociência para “educar” o seu cérebro: o ambiente preparado é condição crucial para aprender.

Tenha um espaço que seja exclusivamente para estudar Inglês. Pode ser uma escrivaninha na sala ou no quarto, mas que ali você só faça isso: estude.

Não misture jogos, não use para falar da vida com amigos ou para almoçar. É o espaço de estudos. Quando você sentar ali, saberá que é para estudar e apenas isso. Isso condicionará e direcionará o seu cérebro.

Nesse espaço, armazene as suas ferramentas de estudo e espalhe bilhetes – preferencialmente em Inglês – que te mantenham focado no seu objetivo. Você vai notar uma enorme diferença nos estudos, na sua disposição e na mentalidade na hora de estudar!

ambiente-de-estudos

  1. Aprender sozinho não é aprender sem ninguém

Pode parecer contraditório, mas aprender sozinho é uma questão de método, não de companhia. Companhias são altamente recomendadas!

Encontre um parceiro ou parceira para estudar contigo, alguém com quem você combine de só conversar em Inglês seja ao vivo ou por mensagens.

Isso ajuda a manter a motivação e a troca de experiências é muito enriquecedora, já que cada um aprende de um jeito e traz sua própria contribuição à mesa.

Essa pessoa nem sequer precisa ser alguém da sua cidade, você pode achar um parceiro de estudos online, por exemplo. Um falante nativo de Inglês ou um amigo com quem falar por vídeo ou microfone nas redes sociais ou no Skype. A prática e a motivação são partes essenciais do aprendizado.

  1. Sempre revise o conteúdo

Outro erro crasso dos autodidatas é nunca revisar o que aprendeu. Apenas vão acrescentando conteúdos novos todos os dias, como se a matéria de ontem, estudada por 1h, já estivesse consolidada.

Não é assim que o cérebro humano funciona e o mesmo vale para aprender Inglês. A não ser que você tenha uma memória eidética que lembre de tudo, sempre revise conteúdo para manter a informação fixa na memória.

Tire pelo menos 15 minutos do seu tempo diário de estudo apenas para revisão. Cada dia, revise um pouco do dia anterior e uma vez na semana faça uma “super revisão” do conteúdo todo.

Assim, você mantém a informação sempre fresca na memória e não corre o risco de ter desperdiçado tempo estudando algo que o seu cérebro dispensará por não ter sido reaproveitado.

  1. Erre bastante, sem medo de ser feliz

Não tenha medo de errar. Errar significa que você está tentando e isso é o mais importante. Não se repreenda ou envergonhe ao pronunciar errado ou usar uma palavra de forma equivocada na frase. É isso mesmo que é aprender: tentativa e erro.

O erro é importante para aprender Inglês, pois ensina mais que o acerto: ensina o NÃO e o SIM. O uso certo e o uso errado. Então não se culpe, fique feliz quando identificar um erro, pois isso mostra que você está avançando!

  1. Invista no seu Inglês!

Aprender Inglês sozinho em casa não é “aprender de graça”. O barato sai caro! Não seja “mão de vaca” e invista no seu aprendizado. Aprender não é gasto, é investimento. Invista em livros adequados ao seu nível e um bom dicionário bilíngue também ajudará muito na hora dos estudos.

Aprender Inglês é um investimento na sua vida pessoal, na medida em que dará mais autonomia e possibilidades, e especialmente na vida profissional. Então não tenha receios: se quer mesmo aprender Inglês rápido, invista. Autodidatismo é método, não gratuidade.

Dica Extra: Série de vídeos mostra, porque 95% das pessoas não ficam fluentes em inglês, mesmo estudando de 5 a 10 anos em escolas de inglês tradicionais. Clique aqui para ver agora.

 

 

error: